Pular para o conteúdo
Anúncio
Início » Composição de renda: Como fazer?

Composição de renda: Como fazer?

financiamento

Atualmente, muitas pessoas reconhecem o financiamento como a melhor forma de construir uma casa sem comprometer seu capital financeiro.

O financiamento oferecido pela Caixa Econômica Federal é amplamente acessível, permitindo que qualquer pessoa com um histórico de crédito limpo possa ter acesso a esse tipo de financiamento.

No entanto, é comum que as pessoas se deparem com uma situação em que o valor aprovado para o financiamento é menor do que o valor necessário para a construção da casa desejada, o que inviabiliza o projeto.

Critérios para a Liberação do Financiamento

Anúncio

Antes de discutirmos a composição de renda, é importante entender os critérios considerados pela Caixa Econômica Federal para a liberação de um financiamento.

Entenda: dois fatores principais são analisados: a renda mensal comprovada e a idade do solicitante.

A regra geral estabelece que as prestações de todos os financiamentos em nome do solicitante não podem exceder 30% de sua renda mensal comprovada. Por exemplo, se uma pessoa possui uma renda de R$10.000 por mês, ela pode comprometer até R$3.000 em prestações de financiamentos.

No entanto, é importante destacar que essa análise leva em consideração todos os financiamentos existentes, incluindo, por exemplo, um financiamento de um carro no valor de R$1.000 mensais.

Nesse caso, o valor máximo de prestações para o financiamento imobiliário seria de R$2.000.

Anúncio

Além da renda, a idade também é um fator considerado. No financiamento para construção, as prestações não podem ultrapassar o prazo de 80 anos e seis meses da idade do solicitante.

Isso significa que uma pessoa mais velha terá um prazo de financiamento menor, o que resultará em prestações mais altas e um crédito menor.

Composição de renda como alternativa

Quando o valor aprovado para o financiamento não é suficiente para construir a casa desejada, uma alternativa é recorrer à composição de renda.

Essa estratégia permite combinar a renda de várias pessoas para aumentar o valor do financiamento. Vale ressaltar que a composição de renda não precisa ser restrita a parentes, podendo ser realizada com qualquer pessoa.

Ao compor a renda, a Caixa Econômica Federal considerará a renda mensal comprovada de todas as pessoas envolvidas.

Por exemplo, se duas pessoas possuem rendas de R$5.000 e R$2.000, respectivamente, a renda total considerada será de R$7.000. Quanto maior for esse valor, maior será o crédito liberado pela Caixa.

Análise da composição de renda

Embora a composição de renda seja uma estratégia viável, é importante analisar alguns fatores antes de optar por ela.

Quando várias pessoas compõem a renda no financiamento, tanto o financiamento quanto o imóvel ficarão em nome de todas as pessoas envolvidas. Isso significa que todos os co-proponentes terão responsabilidade legal e financeira pelo financiamento e pelo imóvel.

É fundamental ter confiança e um relacionamento estável com as pessoas com as quais você está considerando compor a renda.

Acordos e documentações

Acordos e contratos

Primeiramente, é necessário estabelecer acordos claros e documentados, definindo as obrigações e responsabilidades de cada co-proponente em relação ao pagamento das prestações e despesas relacionadas ao imóvel.

Caso ocorra algum problema no futuro, como inadimplência ou desentendimentos entre os co-proponentes, isso pode afetar negativamente todos os envolvidos.

Além disso, é importante considerar as implicações de longo prazo da composição de renda. Se uma das partes decidir sair do financiamento no futuro, seja por motivos pessoais ou financeiros, isso pode impactar a capacidade de pagamento das prestações e a elegibilidade para o financiamento.

Portanto, é necessário estar preparado para lidar com possíveis mudanças na composição de renda ao longo do tempo.

Outro aspecto a ser considerado é a capacidade de pagamento conjunta dos co-proponentes. Mesmo que a composição de renda permita um valor de financiamento maior, é importante ter certeza de que o valor das prestações ainda seja viável para todos os envolvidos.

Leve em conta não apenas a renda atual, mas também possíveis mudanças nas circunstâncias financeiras no futuro, como desemprego, redução de salário ou aumento das despesas.

Conclusão

Portanto, a composição de renda pode ser uma alternativa viável quando o valor aprovado para o financiamento não é suficiente para construir a casa desejada.

Ao combinar a renda de várias pessoas, é possível aumentar o valor do financiamento e realizar o projeto imobiliário.

No entanto, é fundamental analisar cuidadosamente as implicações e responsabilidades envolvidas, estabelecendo acordos claros e considerando possíveis mudanças no futuro.

Antes de optar pela composição de renda, recomenda-se consultar um especialista em financiamentos imobiliários ou entrar em contato direto com a Caixa Econômica Federal para obter orientações específicas sobre as políticas e procedimentos vigentes.

Dessa forma, você poderá tomar uma decisão informada e planejar sua construção de forma adequada às suas necessidades e possibilidades financeiras.

https://www.youtube.com/watch?v=4MWPOLhZzRY

Conheça tudo sobre construção financiada com o engenheiro e especialista Rafael Wainer no Decisões Inteligentes.