Anúncio

Consórcio vale a pena?

Anúncio

Fala a verdade, você já quis fazer um consórcio e achou que era muita burocracia né

E se eu te disser que é mais fácil do que você imagina?

Parece mentira não e mesmo

Vamos ver se você concorda comigo; muitas vezes a gente fica com dúvida se consórcio vale a pena, ou se financiamento pode ser melhor.

Anúncio

Vou te mostrar exatamente como

  • Fazer um consórcio
  • Consórcio vale a pena
  • Consórcio X Financiamento
  • Riscos de Inadimplência
  • Como simular um consórcio
  • Bônus

Olha só

Se você adora trocar de carro com frequência, tem vontade de comprar um casa, ou juntar um bom valor em dinheiro, mas se vê desanimado por juros altos e taxas cobradas, saiba que há uma alternativa vantajosa:

O Consórcio, afinal, ninguém quer perder dinheiro, não e mesmo?

Impressionante

A resposta para a sua dúvida é afirmativa, sim, consórcio vale a pena. Então, mesmo em meio à algumas crises econômicas que afetaram o país, o consórcio apresentou um crescimento significativo em 2016, e só vem crescendo.

Encentrando o ano com 4,35 milhões em consorciados ativos, só no segmento de carros, registrou um aumento de 6,2% em relação ao mesmo periodo de 2015, conforme os dados da Associação Brasileira de administradoras de consórcios (ABAC).

Além desses dados impressionares, existem diversas razões que justificam a escolha dessa modalidade de financiamento.

Como fazer um consórcio?

A fala certa é participar de um consórcio, se você está considerando entrar para um consórcio, é importante seguir alguns passos essenciais para se tornar um consorciado.

Então para ingressar nessa modalidade de financiamento, você deve procurar uma das administradoras de consórcios autorizadas pelo Banco Central, uma de confiança é a Contemplando Sonhos, com mais de 11 anos de experiência, e mais de 2.000 vidas transformadas.

Ao se dirigir a uma administradora, você precisará apresentar documentos pessoais e comprovante de renda. Essa documentação é fundamental para a análise de crédito e para determinar a sua capacidade financeira de participar do consórcio.

Mas, vale ressaltar que o valor das parcelas e o montante de crédito disponível variam de acordo com o produto que você escolher.

Portanto, é essencial definir qual bem ou serviço deseja adquirir antes de iniciar o processo de adesão ao consórcio. Esse planejamento ajudará a encontrar o plano que melhor se encaixa nas suas necessidades financeiras.

consórcio vale a pena? 2023

Como saber se o consórcio de confiável?

Antes de dar qualquer passo na escolha de um consórcio, é crucial verificar se a administradora está devidamente autorizada pelo Banco Central, a entidade reguladora de todos os consórcios no Brasil.

Descobrir essa informação é fácil; basta acessar o site do Banco Central.

No site, vá para a seção “Perfil” e clique em “Consórcios e Administradoras”. Lá, você encontrará uma lista de empresas organizadas por segmento.

Então, se a instituição que você procura não estiver nessa lista, saiba que ela não possui autorização legal para operar.

Caso a administradora esteja na lista, atente-se a informações cruciais, como as taxas de administração. Isso permitirá que você avalie se a empresa oferece condições mais vantajosas em comparação com a concorrência.

Mas, não deixe de verificar também o índice de inadimplência, o que pode indicar a saúde financeira da administradora.

Ao considerar um consórcio, é fundamental ler o contrato com minúcia. Certifique-se de que a taxa de administração esteja claramente especificada no contrato, assim como o número total de parcelas e as regras de contemplação.

Se houver outras taxas envolvidas, busque entender completamente o que elas representam, uma vez que as administradoras de consórcio não podem cobrar taxas de adesão.

Além disso, familiarize-se com os prazos estabelecidos no contrato. Não deixe nenhuma dúvida sem esclarecimento antes de fechar o negócio.

Riscos de inadimplência

Se, por algum motivo, você atrasar o pagamento das parcelas do seu consórcio, é importante procurar a administradora imediatamente para negociar a situação.

Mas a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac) esclarece que algumas consequências podem ocorrer para um consorciado em atraso:

  • O pagamento das parcelas em atraso pode implicar em juros e multas adicionais sobre as prestações não pagas.
  • O consorciado em atraso pode ser impedido de participar de assembleias gerais extraordinárias.
  • Não é permitido participar de sorteios e fazer lances enquanto as parcelas estiverem em atraso.
  • Geralmente, após dois meses de inadimplência, o consorciado pode ser excluído do grupo.
  • Se o consorciado estiver contemplado, mas ainda não utilizou o crédito, este pode ser cancelado devido ao atraso no pagamento.
  • Se o crédito já foi utilizado, as garantias podem ser executadas em caso de inadimplência.
Inadimplência

Se você ainda não foi contemplado e está enfrentando dificuldades financeiras, pode negociar com a administradora a redução do valor do crédito para que as parcelas caibam no seu orçamento. Outra alternativa é a transferência de contrato para outra pessoa interessada.

A exclusão do grupo pode ocorrer tanto por falta de pagamento quanto por desistência do consorciado. Em ambos os casos, aplica-se uma cláusula penal, geralmente uma multa.

O consorciado excluído tem o direito de receber de volta o valor pago para o fundo comum, mas não terá direito à restituição da taxa de administração, contribuições para o fundo de reserva e prêmios de seguro. Esses valores só serão reembolsados quando o desistente for sorteado.

Em situações de exclusão, é possível, em alguns casos, reativar a cota posteriormente, desde que haja vaga no grupo e a administradora avalie a capacidade de pagamento do interessado.

Parcelas em atraso devem ser quitadas com juros e multas, mas podem ser distribuídas nas prestações futuras para facilitar a regularização da situação financeira.

5 dicas de quando vale a pena fazer um consórcio

1. Quando não tem caixa para a entrada

Ao adquirir um financiamento, geralmente, é requerido um montante como entrada. No entanto, no contexto do consórcio, essa exigência de entrada não se aplica.

Outro ponto relevante a destacar é que, ao investir em um consórcio, não é necessário apresentar comprovantes de renda no momento da aquisição. Essa comprovação é solicitada apenas quando o participante é contemplado.

2. Quando é Possível Esperar pela Aquisição

O consórcio não proporciona acesso imediato ao bem desejado. Você adere ao plano, paga as parcelas mensais e aguarda a contemplação por sorteio ou lance.

Portanto, essa é a escolha ideal se você pode esperar para adquirir o bem. Então, se tiver uma reserva financeira e desejar acelerar o processo, pode oferecer lances, antecipando o pagamento de algumas parcelas e obtendo a carta de crédito mais cedo.

Outra alternativa é continuar pagando as parcelas mensais enquanto guarda dinheiro adicional para amortizar a dívida. Isso pode ser uma estratégia interessante se você deseja antecipar a contemplação.

No entanto, é importante lembrar que a contemplação depende da sorte. Você pode ser contemplado no primeiro mês ou no último, pois tudo depende do sorteio.

Mas, isso se aplica a grupos que já estão em andamento, onde você entra quando as assembleias já estão ocorrendo.

3. Quando se Deseja Evitar Juros

Evitar juros é uma prioridade para a maioria das pessoas, e o consórcio é uma excelente escolha nesse sentido.

Ao contrário de financiamentos tradicionais, que envolvem altos juros e taxas, o consórcio cobra apenas a taxa de administração, além de eventuais valores de seguro e fundo de reserva, que são substancialmente menores em comparação com empréstimos bancários.

No consórcio, o valor da parcela é atualizado com base no preço do bem desejado, preservando assim o poder de compra. Isso significa que seu montante pago é reajustado, mas não devido a juros.

Além disso, você pode usar um veículo usado como forma de pagamento das últimas parcelas do consórcio, o que acelera a obtenção do bem desejado sem a necessidade de continuar pagando por ele.

consórcio vale a pena
4. Quando é Importante Economizar

Se você deseja economizar para construir um patrimônio, o consórcio é uma opção excelente. Por meio dessa modalidade, você pode economizar de forma disciplinada e direcionar seus recursos para seus objetivos financeiros.

É importante destacar que o consórcio também pode ser considerado uma forma de investimento, muitas vezes mais atraente do que a tradicional caderneta de poupança.

Mas, enquanto a poupança oferece alta liquidez, permitindo o saque a qualquer momento, o consórcio bloqueia o montante, tornando-o menos acessível e, portanto, mais propenso a ser poupado.

Dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC) revelam que os consorciados conseguem economizar cerca de 4,5 vezes mais do que os depositantes de poupança.

Então, isso ocorre porque, em geral, as pessoas têm dificuldade em poupar dinheiro, seja devido a gastos diários descontrolados ou à percepção de que é necessário ter uma grande quantidade de recursos para economizar.

O consórcio permite que você invista em bens duráveis com uma contribuição mensal acessível, o que pode resultar na aquisição desses bens a um custo muito menor em comparação com outras formas de financiamento.

5. Quando é Necessária Disciplina Financeira

Manter a disciplina financeira pode ser um desafio para muitas pessoas, especialmente quando se trata de economizar dinheiro.

O consórcio ajuda a criar uma rotina de economia, pois você estabelece um compromisso mensal para pagar as parcelas. Se você ficar inadimplente, enfrentará penalidades, como juros e multas.

Além disso, a inadimplência pode resultar na exclusão do grupo, impedindo sua participação em lances e sorteios. Portanto, é fundamental manter os pagamentos em dia para evitar gastos adicionais e garantir sua elegibilidade para as oportunidades de contemplação.

Mas, agora que você entende melhor as situações em que o consórcio brilha, pode tomar uma decisão informada sobre essa modalidade financeira.

Então, lembre-se de compartilhar este post em suas redes sociais para ajudar outras pessoas que também estão considerando o consórcio como uma opção inteligente.

Consórcio X Financiamento

Quando se trata de adquirir um bem, como um veículo ou um imóvel, as opções de financiamento e consórcio surgem como alternativas.

Então, existem diferenças cruciais a serem consideradas ao escolher esses métodos de aquisição.

  1. Exigência de Entrada Mínima

No financiamento, é comum que seja necessária uma entrada mínima, e quando essa condição não é atendida, especialmente em compras de automóveis, as taxas de juros tendem a ser substancialmente mais elevadas, o que pode resultar em custos adicionais significativos.

Em contrapartida, para financiar imóveis, é essencial dispor de, pelo menos, 20% do valor do bem como entrada.

Essa exigência de entrada pode se tornar uma barreira para muitos indivíduos que não têm recursos imediatamente disponíveis ou que ainda não estabeleceram um planejamento financeiro sólido.

No entanto, o consórcio oferece uma abordagem diferente, pois não requer um valor mínimo de entrada. Ele simplesmente divide o valor total da carta de crédito, que você estará adquirindo, pelo número de parcelas.

  1. Processo de Contemplação

Ao determinar quem receberá a carta de crédito primeiro, seja para um veículo ou um imóvel, tanto o financiamento quanto o consórcio adotam abordagens distintas.

No consórcio, a contemplação ocorre por meio de sorteios e também lances, que envolvem o adiantamento de uma quantia significativa para quitar o bem.

No entanto, é crucial observar que nenhuma dessas estratégias garante acesso imediato ao seu veículo ou propriedade.

Portanto, ao decidir entre consórcio e financiamento, é fundamental considerar suas necessidades financeiras específicas e sua capacidade de atender aos requisitos de entrada, bem como sua preferência pelo processo de contemplação.

Cada abordagem tem seus prós e contras, e a escolha dependerá das circunstâncias individuais e das prioridades do comprador.

Consórcio vale a pena: simulação

Para simular um consórcio basta clicar AQUI, e preencher o formulário com os documentos necessários.

Nome, WhatsApp ou telefone, e-mail, qual sua renda mensal, qual valor de parcela você deseja pagar, quanto tempo você pode esperar para pagar o seu bem, que tipo de bem você quer comprar, carro, moto, caminhão, eletrodoméstico ou imóvel.

Preencha as informações e simule seu consórcio.

Estrategia bônus o que fazer com o capital quando for contemplado

Os benefícios proporcionados pelo consórcio são ainda mais abrangentes do que aparentam. Uma das vantagens primordiais é a capacidade de utilizar essa modalidade como uma estratégia sólida para acumular patrimônio.

Mas como isso funciona? A resposta é simples: ao optar pelo consórcio, você elimina os juros e investe uma quantia adicional relativamente pequena para adquirir os bens que deseja. Isso possibilita a compra de sua própria casa ou carro, investindo praticamente o mesmo valor que pagaria por esses ativos.

Para compreender melhor essa economia, considere a comparação entre o consórcio e o financiamento. Imagine um imóvel no valor de R$ 500 mil, com um prazo de pagamento de 10 anos.

No consórcio, com uma taxa média de administração de 17%, e considerando a correção anual pelo Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) de cerca de 5% ao ano, o valor total pago chegaria a R$ 735.806,93.

Em contrapartida, no financiamento do mesmo imóvel, com uma taxa média de juros de 11% ao ano, o montante atingiria R$ 779.673,60. Portanto, o consórcio resultaria em uma economia de R$ 43.866,67.

Parte II

Ao analisar a compra de um veículo no valor de R$ 30 mil, com um prazo de pagamento de 5 anos, a vantagem do consórcio também se destaca. Com uma taxa de administração de aproximadamente 0,77% ao mês, o custo total seria de R$ 37.575,00.

No financiamento, a taxa de juros alcançaria cerca de 1,54% ao mês, resultando em um pagamento total de R$ 46.179,60. Isso significa que o consórcio proporcionaria uma economia de R$ 8.604,60.

É evidente que o consórcio possibilita um planejamento estruturado para adquirir cotas de acordo com sua capacidade financeira, tornando-se uma estratégia para construir um patrimônio sólido, seja ele pessoal, familiar ou empresarial.

Dessa forma, você pode alcançar seus objetivos sem a necessidade de dar lances para acelerar a contemplação, evitando gastos imediatos ou taxas de juros elevadas.

Consórcio vale a pena; conclusão

Consórcio vale a pena: Ao avaliar se o consórcio vale a pena, fica claro que esta é uma modalidade de investimento e aquisição de bens que oferece vantagens significativas.

Então, a ausência de juros sobre as parcelas é um dos principais benefícios, tornando o consórcio uma alternativa econômica e eficiente para quem busca adquirir um veículo, imóvel ou outros bens de valor.

A flexibilidade do consórcio, que não exige um valor mínimo de entrada, é particularmente vantajosa para aqueles que ainda não têm uma reserva significativa ou enfrentam dificuldades em cumprir essa exigência em outras formas de financiamento.

Além disso, a disciplina financeira é incentivada pelo consórcio, já que as parcelas mensais se tornam um compromisso regular. Isso pode ser benéfico para pessoas que desejam construir um patrimônio de forma constante.

No entanto, é importante lembrar que o consórcio também possui seus desafios. Portanto, quem busca acesso imediato ao bem pode encontrar nessa modalidade um obstáculo.

Mas, em resumo, o consórcio é uma opção valiosa para aqueles que buscam economizar e investir em bens de forma planejada, evitando os altos juros comuns em financiamentos.

É fundamental ponderar os prós e contras antes de determinar se o consórcio é a escolha certa para você.

Gostou do artigo? Compartilhe com quem precisa saber mais sobre consócio.

10 thoughts on “Consórcio vale a pena? [Guia Completo]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *